MORADOR DE LOCALIDADE QUE DIVIDE AS CIDADES DE RUSSAS E JAGUARUANA É AGREDIDO DUAS NOITES SEGUIDAS, POR MORCEGO.

Tomei conhecimento na manhã deste Domingo 26 de Novembro de que um cidadão que mora em uma localidade da zona rural do município de Russas que faz divisa com a cidade de Jaguaruana, foi agredido por duas noites consecutivas, por morcego e que o mesmo voltou para atacá-lo novamente. Na oportunidade, também fiquei sabendo que o mesmo teria procurado o hospital de Russas e que o médico de plantão fez todos os procedimentos que precisa ser feito.

O assunto é bastante delicado e merece atenção especial por parte das autoridades de saúde, não só de Russas como também de nossa Jaguaruana, tendo em vista as localidades fazerem a divisa de uma cidade para outra. Morcegos são mamíferos que podem transmitir o vírus da raiva para os humanos e também para os animais. 

Tentando alertar para o problema, decidi postar este artigo que fala um pouco da história desse animal, que mesmo colocando a vida de humanos em risco, é essencial para o equilíbrio da natureza. Portanto, fiquemos atentos, mas saibam que não podemos matar os morcegos.

7 CURIOSIDADES SURPREENDENTES SOBRE OS MORCEGOS

Por terem um aspecto muito diferente do que imaginamos quando pensamos em um mamífero, os morcegos acabam causando mais receio do que interesse nas pessoas. Mas é justamente por serem diferentes que esses animais são extremamente fascinantes.

Então, confira algumas curiosidades incríveis – que foram selecionadas pelo Mother Nature Network – sobre os morcegos, mude de ideia quanto a essas criaturinhas e entenda como elas são indispensáveis para o planeta.

1. Os morcegos representam cerca de 20% de todos mamíferos

A ordem Chiroptera é formada por mais de 1.200 espécies, o que faz com que os morcegos sejam uma das maiores ordens de mamíferos. Eles só perdem para os roedores, que somam 2.277 espécies e correspondem a 40% dos mamíferos.

Os quirópteros se dividem em duas subordens: megamorcegos e micromorcegos. Os megamorcegos – mais conhecidos como raposas-voadoras – têm uma excelente visão e se alimentam de frutas e néctar. Já os micromorcegos têm como principal característica a ecolocalização e um apetite por insetos e sangue.
2. As colônias de morcegos facilitam o controle de pestes

Quando existe uma grande colônia de morcegos na região, não é necessário investir em pesticidas nocivos para a agricultura. Isso porque um único morcego come mais de 600 insetos por hora – o que faz desse animal uma excelente alternativa orgânica no controle de pestes. Com a ajuda deles, a agricultura economiza bilhões de dólares.

Porém, esse recurso se encontra ameaçado. Os cientistas buscam entender como será o futuro desses animais na América do Norte na próxima década, já que eles estão sofrendo com a perda de hábitat e com doenças.

Fonte: Shutterstock

3. As fêmeas conseguem controlar a gestação

Para garantir que as condições externas sejam ideais para receber seu filhote, as mamães-morcego têm táticas biológicas que permitem que elas controlem a fertilização, a implantação do óvulo e o desenvolvimento do feto.

Nas espécies em que o acasalamento ocorre no outono, as fêmeas guardam o sêmen do macho em seu sistema reprodutor para que seus óvulos sejam fertilizados apenas na primavera. Em outros casos, o óvulo é fertilizado logo após a cópula, mas a implantação na parede uterina só acontece quando houver condições favoráveis. Em outro processo de adaptação, a fertilização e implantação ocorrem normalmente, mas o feto fica adormecido por um longo período.

Em geral, as fêmeas se utilizam dessas táticas para garantir que o nascimento dos filhotes coincida com a maior oferta de frutas e insetos no ambiente em que vivem.
4. Alguns morcegos realmente se alimentam de sangue

É fato que algumas espécies de morcegos se alimentam de sangue, mas, ao contrário do que muitos pensam, essas criaturas não chupam o sangue dos animais. Em vez disso, eles usam seus dentes afiados para fazer um pequeno corte na pele do animal. Assim, eles ingerem apenas o sangue que sai do ferimento.

E também se engana quem acha que eles precisam de quantidades enormes de sangue. Em geral, duas colheres de sopa são uma dose diária suficiente para o morcego e uma quantidade que não causa nenhum prejuízo à vítima. Ainda, a saliva dessas espécies é composta por uma substância anestésica que impede que o animal sinta o corte.

Fonte: Shutterstock

5. Os morcegos ficam de ponta-cabeça para economizar energia

Se ficarmos alguns minutos de cabeça para baixo já começamos a nos sentir mal, não é mesmo? Mas essa posição é fundamental para que os morcegos conservem energia. Isso porque o sistema circulatório desses animais é bastante diferente do nosso. Essas criaturas passaram por adaptações que garantem que o sangue seja bombeado para as extremidades e distribuído igualmente em todo o seu corpo quando ele está de ponta-cabeça.

Pode parecer estranho, mas é muito mais confortável para um morcego ficar pendurado do que desafiar a gravidade e tentar ficar em pé. E, como eles têm ossos e músculos extremamente leves para o voo, não é esforço nenhum sustentar o peso do corpo.
6. Os morcegos são os únicos mamíferos que podem voar

Você pode até se lembrar dos esquilos voadores ou outras espécies menos conhecidas – como o petauro-do-açúcar e o colugo –, que percorrem pequenas distâncias no ar, mas a verdade é que os morcegos são realmente os únicos mamíferos que conseguem levantar voo e se manter no ar.

Ao contrário dos pássaros, que movem totalmente seus membros anteriores, os morcegos voam batendo seus dígitos. A membrana de suas asas é sensível e delicada e, assim como pode ser facilmente danificada, cresce rapidamente.
A maior colônia urbana de morcegos fica no Texas, EUA. Fonte: 

7. Os morcegos formam colônias enormes

A maior colônia natural de morcegos está na caverna de Bracken Bat, no Texas (EUA), e abriga 20 milhões de morcegos. Durante uma única noite, a colônia inteira pode chegar a consumir impressionantes 200 toneladas de insetos! A quantidade de animais é tão grande que, quando eles saem em busca de alimentos, a densa nuvem que se forma chega a ser visível pelo radar responsável pela temperatura.

Já a maior colônia urbana dessas criaturas fica em Austin, também no Texas, onde cerca de 1,5 milhão de morcegos vivem embaixo da ponte Ann W. Richards Congress Avenue Bridge. Depois de passar o inverno no México, os animais migram para a cidade de março a novembro – período no qual impressionam os turistas e moradores com voos incríveis quando saem em busca de alimentos.

Compartilhe no Google Plus

Sobre Manoel Martins

Sou Casado, pai de 3 filhos, apaixonado pela minha família e pela minha querida cidade Jaguaruana... Jaguaruana Verdade, Porque Mentira tem Pernas Curtas!

0 comentários:

Postar um comentário